domingo, 7 de setembro de 2008

Do lado de dentro



"... Abre essa porta
não se faz de morta
diz o que é que foi..."









Eu tava pensando sobre as coisas que se passam aqui dentro, coisas que penso, que me incomodam, me inquietam. Desejos, medos. Tudo tudo que fica desse lado de cá, só, do meu lado de dentro, mas que não partem pra lugar nenhum, porque não as sopro com o vento mesmo. Por medo.
Borboletas ou cachorros que receio soltar. Nem chego a falar neles na maior parte do tempo. E às vezes, confesso, os cachorros são tão grandes que até evito pensar neles, quando ao menos refletir a respeito seria o mínimo que deveria fazer.
Hoje, só consigo ver o quanto perdi e ainda perco com essa bobagem.
Mas só perceber não me faz curada desse mal, não, estou ainda distante. A caminho, porém, distante.
Percebo o quanto evitei situações críticas, conflitos e problemas que eram óbvios por medo de enfrentá-los. E por isso perdi o melhor, perdi muito. O respeito por mim mesma, inclusive, perdeu-se nessas ocasiões, porque decidi me calar e mantive a porta fechada.
A pulga detrás da minha orelha, coitada, ficou rouca de tanto me gritar (desistiui de soprar) , tantas foram as vezes que a ignorei. Numa atitude estúpida, não dava créditos à minha percepção ou intuição. Diversas vezes sabia o que estava errado, mas me sabotei. E ainda o faço, vergonhosamente de tempos em tempos, quanto maior for minha ansiedade para fazer dar certo o que estiver me afligindo.
Incorpore à lista - escolhas profissionais, amizades, relacionamentos, dos níveis mais superficiais aos mais envolventes. Fiz igual em quase todos e me calei quando as adversidades estavam bem ali na minha cara.
Me respeitei pouco, não fui quem eu sou, não disse o que queria, concordei quando meu íntimo discordava. O lado de dentro machucado, ignorado, negligenciado. Guardei tudo em gavetas e fechei a porta novamente.
Isso aqui não é um lamento. É arrependimento mesmo.
Que seja um alarme, pois ainda estou aprendendo, a passos de bebê. Situações pra por em prática não faltam.
Difícil.
"Old habits die hard..."

Alice em punição


2 comentários:

Mariam disse...

Olá Alice! Obrigada pela visita la no blog. Tbm goste muito do seu. Pelo que percebi temos algumas coisas em comum. Rsrsrs. Bjim t+

.Ná. disse...

Esse é o pecado que todos nós cometemos. A 'cecília' mesmo anda assim por tudo que ela calou....

Beijos.